A A A
Mosteiro de Mancelos: obras de conservação

Mosteiro de Mancelos: obras de conservação

24-10-2017

O Mosteiro de São Martinho de Mancelos, em Amarante, prepara-se para receber obras de conservação e salvaguarda a partir desta semana.

A assinatura do auto de consignação da empreitada está agendada para o dia 25 de outubro, quarta-feira, pelas 15 horas, naquele monumento.

O projeto técnico desta intervenção foi elaborado pelos serviços da Direção Regional de Cultura do Norte, entidade à qual o Mosteiro de Mancelos se encontra afeto.

O projeto inclui reforços estruturais do edifício e diversas reparações nas coberturas (telhados), nos paramentos (paredes), nos pavimentos e nos vãos (portas e janelas).

Estão previstos igualmente trabalhos no interior, bem como a instalação de vários equipamentos elétricos, de telecomunicações e de segurança ativa.

A intervenção no Mosteiro de Mancelos, que irá decorrer ao longo dos próximos nove meses, representa um investimento de cerca de 236 mil euros, cofinanciado em 85% pelo Programa Operacional Regional do Norte 2014/2020 (Norte 2020), através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, e em 15% pelo Município de Amarante, no âmbito da operação "Rota do Românico: Património, Cultura e Turismo - Tâmega", apresentada pela Associação de Municípios do Baixo Tâmega.

Reformado em 1540, quando passou aos religiosos dominicanos do convento de São Gonçalo de Amarante, Mancelos constituiu-se como um mosteiro associado aos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho desde o século XII. Pelos vestígios românicos subsistentes é provável que a sua edificação se concluísse no século seguinte.

No interior destaca-se o acervo de pinturas, no conjunto das quais uma, exposta na capela-mor, poderá representar o venerando bispo frei Bartolomeu dos Mártires.

Em 1934, Mancelos foi classificado como Imóvel de Interesse Público e, em 2010, foi integrado no projeto turístico-cultural da Rota do Românico.