Quem Somos - Rota do Românico

A Rota do Românico

Em terras dos vales do Sousa, Douro e Tâmega, no coração do Norte de Portugal, ergue-se um importante património arquitetónico de origem românica. Traços comuns que guardam lendas e histórias nascidas com a fundação da Nacionalidade e que testemunham o papel relevante que este território outrora desempenhou na história da nobreza e das ordens religiosas em Portugal.

Esse património encontra-se estruturado na Rota do Românico, germinada, em 1998, no seio dos concelhos que integram a VALSOUSA - Associação de Municípios do Vale do Sousa - Castelo de Paiva, Felgueiras, Lousada, Paços de Ferreira, Paredes e Penafiel, e alargada, em 2010, aos restantes municípios da NUT III – Tâmega e Sousa (Amarante, Baião, Celorico de Basto, Cinfães, Marco de Canaveses e Resende), unindo num projeto supramunicipal um legado histórico e cultural comum.

Ancorada num conjunto de 58 monumentos de grande valor e de excecionais particularidades, esta Rota pretende assumir um papel de excelência no âmbito do turismo cultural e paisagístico, capaz de posicionar a região como um destino de referência do românico, estilo arquitetónico que perdurou entre os séculos XI e XIV.

A Rota do Românico tem vindo a afirmar-se, nos últimos anos, como um projeto de referência nacional, sendo (re)conhecido como um paradigma, em prol do desenvolvimento regional, em diversos campos de intervenção: da conservação do património à promoção turística, da investigação científica à disseminação de conhecimento, da dinamização cultural à educação patrimonial.

Missão
Contribuir para o desenvolvimento sustentado do território dos vales do Sousa, Douro e Tâmega, através da valorização do património cultural e arquitetónico de estilo românico, criando um produto turístico e cultural de excelência.

Visão
Ser uma referência pelo contributo para o desenvolvimento sustentado do território do Sousa, Douro e Tâmega.

Objetivos
Promover o ordenamento do território através da valorização do património.
Criar um novo setor produtivo capaz de gerar riqueza.
Contribuir para a mudança da imagem interna e externa da região.
Qualificar os recursos humanos da região.
Contribuir para a criação de uma empregabilidade qualificada.

VALORES
Autenticidade
Pelos valores tradicionais da região visíveis no próprio património, fruto das características destas terras e das gentes que as habitaram.

Integridade
Pelo respeito pelas políticas e práticas para a conservação do património veiculadas em cartas e convenções internacionais, respeitando a autenticidade e a integridade global do património, entendido como produto único de um tempo – o românico –, mas sujeito à mudança de linguagens e gostos artísticos.

Aprendizagem
Uma marca que nos transporta para um mundo de história, com raízes românicas, associado ao tempo da reconquista cristã.

Evasão
Um prazer para todos os sentidos, desde a contemplação da arte, ao prazer gastronómico e ao conforto do alojamento, que nos transporta para outra dimensão.

Sustentabilidade
Pelas preocupações que apresenta com o desenvolvimento sustentável da região, nomeadamente com questões de responsabilidade social.