Igreja do Salvador de Aveleda - Rota do Românico
MARCAR VISITA

A fundação da Igreja do Salvador de Aveleda remonta aos séculos XI ou XII. Em 1177, Vela Rodrigues doou esta Igreja ao Mosteiro de Paço de Sousa.

O atual edifício, datado do final do século XIII ou início do século XIV, testemunha na sua arquitetura e na sua ornamentação a longa persistência das formas românicas que caracterizam a arquitetura medieval portuguesa.

O portal principal conserva os elementos românicos mais evidentes, ainda que muito tardios: as colunas [capitéis vegetalistas, fuste circular, base bulbiforme] e o tímpano liso.

Os portais laterais sem colunas e os cachorros sem decoração refletem igualmente o caráter tardio da construção. Ao longo das paredes exteriores da nave prolonga-se um característico lacrimal românico.

A torre sineira, a capela-mor e a sacristia correspondem a obras dos séculos XVII e XVIII.

Da Época Moderna merecem também realce, no interior, os altares colaterais, o púlpito, a pintura dos tetos da nave e do arco cruzeiro, bem como o teto em caixotões da capela-mor, com símbolos das Ladainhas à Virgem.

A presença de uma peça decorada, que se encontra num dos degraus do interior da Igreja, poderá testemunhar a existência de uma antiga construção visigótica ou moçárabe [séculos V-VIII].


Tipologia: Igreja

Classificação: Imóvel de Interesse Público - 1978

Percurso: Vale do Sousa

Séc. XII – Referência à Igreja de Aveleda;

Sécs. XIII (finais) e XIV – Reconstrução da Igreja;

Sécs. XVII e XVIII – Reconstrução da capela-mor, colocação dos retábulos, sacristia e torre sineira e transformação do interior com obra de talha e pintura;

Séc. XVIII (segunda metade) – Pintura do arco triunfal e teto da nave da Igreja e instalação dos retábulos colaterais;

Séc. XIX – Instalação do retábulo-mor;

1982-83 – Obras de restauro e conservação: coberturas, limpeza da pintura dos tetos e arco cruzeiro, restauro da talha, substituição do pavimento, construção dos degraus de cantaria de granito no arco triunfal, separando a nave da capela-mor, aplicação de reboco no interior e abertura de um vão na capela-mor de acesso à sacristia;

1998 – Integração da Igreja do Salvador de Aveleda na Rota do Românico do Vale do Sousa;

2004 – Obras de conservação e salvaguarda das coberturas, muros exteriores e vãos;

2004-2005 – Conservação do tardoz dos tetos da capela-mor, nave e sacristia;

2005 – Obras de conservação e salvaguarda, arranjo da sacristia e instalação elétrica;

2011 – Escavações arqueológicas na envolvente da Igreja;

2013-2014 – Conservação geral da Igreja ao nível das coberturas, paramentos, vãos e adro, no âmbito da Rota do Românico;

2014-2015 – Requalificação da área envolvente à Igreja, no âmbito da Rota do Românico.

Divino Salvador – 6 de agosto (festa no 1.º domingo de agosto); Outras festividades: Santo Ovídio – 9 de agosto

Por marcação

Domingo - 10h30; sábado - 17h30/18h30 (inv./ver.)

Monumento acessível, total ou parcialmente, a visitantes com mobilidade reduzida.

+351 255 810 706

+351 918 116 488

visitasrr@valsousa.pt

Como chegar:

41,279507, -8,253011

Avenida da Igreja, Aveleda, Lousada, Porto

Se vem do Norte de Portugal através da A28 (Porto), da A3 (Porto), da A7 (Póvoa de Varzim), da A24 (Chaves/Viseu) ou da A4 (Bragança/Matosinhos) siga na direção de Felgueiras pela A11 (Esposende/Marco de Canaveses) e depois na de Paços de Ferreira pela A42. Saia no nó de Alvarenga/Lousada e siga a sinalização da Rota do Românico até à Igreja de Aveleda.

A partir do Porto opte pela A3 (Valença), depois pela A41 CREP (Paços de Ferreira), A42 (Felgueiras) e saia no nó de Alvarenga/Lousada, seguindo depois a sinalização da Rota do Românico até à Igreja de Aveleda.

Se vem do Centro ou Sul de Portugal pela A1 (Porto) ou pela A29 (V.N. Gaia) opte pela A41 CREP. Depois escolha a A42 (Felgueiras), saia em Alvarenga/Lousada e siga a sinalização da Rota do Românico.

Se já se encontra na vila de Lousada tome a direção de Felgueiras, seguindo depois a indicação da Igreja de Aveleda.