Igreja de Santa Maria de Veade - Rota do Românico
MARCAR VISITA

Edificada no século XIII, sucedendo a uma pequena ermida, a atual Igreja de Veade é, no entanto, uma estrutura profundamente alterada no século XVIII.

Do românico subsistem os portais laterais, apesar de revolvidos durante as intervenções barrocas, que reorientaram a Igreja (primitivamente a fachada principal encontrava-se voltada a oeste, seguindo a chamada orientação canónica) e lhe acrescentaram uma cabeceira a oeste.

Os portais norte e sul estão muito ornamentados, mostrando pérolas e motivos vegetalistas, trechos de frisos enxaquetados e capitéis onde se representa o tema comum às bacias do Tâmega e Douro, de influência bracarense: a cena de Daniel na cova dos leões.

Embora o portal principal mostre as profundas modificações que a Igreja sofreu pela mão do comendador Álvaro Pinto, das nobres famílias de Lamego, é no interior que compreendemos o gosto barroco em todo o seu esplendor.

Embora se distingam campanhas anteriores, de cariz maneirista, é a cenografia barroca que toma conta de todo o espaço.

Entre o uso da talha dourada, à policromia do granito, até ao rodapé azulejar da capela-mor, a expressão “horror ao vazio”, com que alguns caraterizam este estilo, adquire aqui particular expressão.


Tipologia: Igreja

Classificação: Em vias de classificação

Percurso: Vale do Tâmega

1159 - A meana Dordia Gomes foi sepultada em Veade;

Século XIII - A Igreja particular de Veade encontrava-se vinculada à estirpe dos Guedeões;

Século XIII, 1.ª metade - Edificação da fábrica românica de Veade, de que remanescem alguns trechos significativos;

1220 - As Inquirições de D. Afonso II referem-se ao Monasterium de Bialdi, embora a Igreja de Veade fosse já ao tempo um templo paroquial;

Antes de 1258 - O cónego bracarense Gomes Alvites vendeu a Igreja de Veade e todos os casais à Ordem do Hospital;

1641 - Edificação das Casas da Comenda por encomenda de Diogo de Melo Pereira (fal. 1666);

1732 - Segundo a inscrição gravada no lintel do portal principal, a Igreja de Veade foi reedificada pelo comendador frei Martim Álvaro Pinto, da casa de Calvilhe (Lamego);

Século XVIII, 2.ª metade - Conceção do recheio da Igreja: mobiliário litúrgico, talha e imaginária;

1967 - Obras de restauro da Igreja de Veade;

1980-1990 - Restauro do retábulo-mor;

Século XX-XXI - Arranjos na envolvente da Igreja a cargo da Câmara Municipal de Celorico de Basto;

2010 - Integração da Igreja de Veade na Rota do Românico.

Santa Maria – 15 de agosto

Por marcação

Domingo - 08h00

Monumento não acessível a visitantes com mobilidade reduzida.

+351 255 810 706

+351 918 116 488

visitasrr@valsousa.pt

Como chegar:

41,414667, -7,978258

Lugar da Igreja, Veade, Celorico de Basto, Braga

Se vem do Norte de Portugal através da A28 (Porto), da A3 (Porto) e da A24 (Chaves/Viseu), siga na direção da A4 (Bragança/Matosinhos). Saia no nó de Amarante Oeste da A4. Rume na direção de Celorico de Basto, pela variante do Tâmega, e depois na de Mondim de Basto até se deparar com a sinalização da Igreja de Veade.

Se vem pela A11 (Esposende) ou pela A7 (P. Varzim/V.P. Aguiar), saia no nó de Fafe da A7 e siga na direção de Celorico de Basto / Mondim de Basto.

A partir do Porto opte pela A4 (Vila Real). Saia em Amarante Oeste. Siga na direção de Celorico de Basto e depois na de Mondim de Basto.

Se vem do Centro ou Sul de Portugal pela A1 (Porto) ou pela A29 (V.N. Gaia) opte pela A41 CREP (Vila Real). Escolha depois a A4 (Vila Real). Saia em Amarante Oeste e siga na direção de Celorico de Basto e depois na de Mondim de Basto.

Se já se encontra na vila de Celorico de Basto, rume na direção de Mondim de Basto / Igreja de Veade.