Torre de Vilar - Rota do Românico
MARCAR VISITA

A Torre de Vilar, mais do que uma construção militar, é um símbolo de poder da nobreza senhorial, constituindo um importante exemplo da “domus fortis” [residência fortificada] no território do Tâmega e Sousa.

Deverá ter sido construída entre a segunda metade do século XIII e o início do século XIV, embora o primeiro testemunho desta Torre esteja datado do século XV. Segundo as “Inquirições” [inquérito administrativo] de 1258, “Sancte Marie de Vilar” era uma “Honra” [território] pertencente à família de D. Gil Martins, da família dos Ribavizela.

De planta retangular, a Torre de Vilar ergue-se sobre um afloramento granítico que coroa uma pequena elevação.

Foi construída em excelente aparelho de granito, com a presença de várias siglas [marcas] de canteiro [pedreiro].

As fachadas apresentam numerosas frestas e subsistem ainda diversas mísulas [pedras salientes] usadas para suporte dos pisos.

O último piso corresponderia ao adarve [espaço de vigia] e deveria igualmente possuir ameias e merlões, entretanto desaparecidos, que coroavam o parapeito da Torre.

As intervenções levadas a cabo pela Rota do Românico contribuíram para a eliminação do estado de ruína da Torre de Vilar dos últimos séculos.


Tipologia: Torre

Classificação: Imóvel de Interesse Público - 1978

Percurso: Vale do Sousa

Séc. XIII (segunda metade) / Início do Séc. XIV – Edificação original;

1346 (8 de fevereiro) – Primeiro documento da Torre de Vilar: carta pela qual são confiscadas as rendas da Torre a D. Teresa Martins, viúva de D. Afonso Sanches, filho bastardo do rei D. Dinis;

1998 – Integração da Torre de Vilar na Rota do Românico do Vale do Sousa;

2005-2006 – Realização de obras, a cargo da DREMN - Direção Regional dos Edifícios e Monumentos Nacionais, no âmbito da Rota do Românico do Vale do Sousa;

2006 (23 de setembro) – Abertura ao público da Torre de Vilar após as obras de requalificação;

2009 – Abertura do Centro de Informação da Rota do Românico;

2011-2012 – Trabalhos de valorização dos acessos à Torre, arranjos exteriores e estacionamento, no âmbito da Rota do Românico.

Por marcação

Centro de Informação da Rota do Românico. A realização de atividades poderá condicionar o horário de abertura deste Centro, pelo que contacte-nos previamente.

Monumento não acessível a visitantes com mobilidade reduzida.

+351 255 810 706

+351 918 116 488

visitasrr@valsousa.pt

Como chegar:

41,287638, -8,208522

Alameda Torre de Vilar, Vilar do Torno e Alentém, Lousada, Porto

Se vem do Norte de Portugal através da A28 (Porto), da A3 (Porto), da A7 (Póvoa de Varzim), da A24 (Chaves/Viseu) ou da A4 (Bragança/Matosinhos) siga na direção de Felgueiras pela A11 (Esposende/Marco de Canaveses). Saia no nó de Caíde da A11 e siga a indicação da Torre de Vilar.

A partir do Porto opte pela A4 (Vila Real) e depois pela A11 (Felgueiras). Nesta via saia no nó de Caíde e siga a indicação da Torre de Vilar.

Se vem do Centro ou Sul de Portugal pela A1 (Porto) ou pela A29 (V.N. Gaia) opte pela A41 CREP. Depois escolha a A4 (Vila Real) e a A11 (Felgueiras). Saia no nó de Caíde e siga a sinalização da Torre de Vilar.

Se já se encontra na vila de Lousada tome a direção de Felgueiras pela estrada N207, seguindo a indicação da Torre de Vilar.